sexta-feira, 30 de Setembro de 2011

o fim

Venho aqui, perante vós, anunciar o fim do meu blogue pessoal. Após 6 meses em coma, achei que chegou altura de realmente assumir algo que já era esperado. Acabou-se. Nem mais um olhar, nem mais um sorriso, nem mais uma música no ar. Quer dizer, por acaso a música vai continuar mas noutras paragens, no Altamont e no Letra1. É por lá que andarei a dizer coisas, mas de uma forma diferente, menos pessoal, menos introspectiva e maioritariamente a ver com música. E aqui e ali outras. Mas será um registo completamente diferente do que usava aqui, do que usei aqui durante 5 anos. 5 anos e 1032 posts. Muita coisa boa, muitos registos, muitas memórias aqui ficarão. Pode ser que um dia me apeteça começar algo pessoal. Neste momento não estou para aí virado. Simplesmente queria então agradecer a atenção, o carinho, a contribuição que deram para que o blog se tivesse desenvolvido durante o período em que esteve activo. 5 anos é um número que impressiona. Em 5 anos tanto mudou na minha vida, tanta coisa aconteceu. Foram 5 anos marcantes e únicos, irrepetíveis numa vida. E o blog esteve sempre ali, a acompanhar, a gravar memórias. A vida prossegue. Por agora sem gravador de memórias.

Um grande bem-haja a todos.

quarta-feira, 16 de Março de 2011

um olhar...

Como não leio jornais de fim de semana, tenho apenas que agradecer à Pastoral Portuguesa (um blog que qualquer blogger que se preze conhece) por ter-me feito chegar esta pérola que transcrevo abaixo.

«Que dinheiro teria disponível para contratação de jogadores para a próxima época?

Não sei, mas não estou muito preocupado. É um orçamento que será feito por mim. Hei-de saber arranjar um esquema para saber montar... e se não souber, saberão outras pessoas por mim. Há esquemas de engenharia financeira para montar uma equipa competitiva.»
(Dias Ferreira, entrevista ao SOL, 11/03/2011)

E fez-me lembrar aquela crónica do Miguel Esteves Cardoso no seu "A Causa das Coisas". Não consegui encontrar o texto completo da crónica como queria, mas prometo que um dia quando tiver tempo e se me lembrar venho aqui escrevê-lo na sua totalidade. Vamos lá, um excerto então apenas de "Arranjar".

"Em Portugal, como todos sabem, é muito raro conseguir seja o que for. Em contrapartida tudo se arranja. O arranjar hoje é a versão portuguesa do conseguir. É verdade que “Quem espera sempre alcança”, mas como ninguém está para esperar, em vez de alcançar o que se quer, arranja-se outra coisa qualquer.
No fundo é talvez por não se terem as coisas que elas se têm de arranjar. Não se tem tempo, mas arranja-se. Já não há bilhetes, mas conhece-se alguém que os arranja. Ninguém tem dinheiro mas vai-se arranjando para o tabaco.
O próprio sistema político, económico, cultural, social estimula uma atitude para com o cidadão que se traduz pela expressão ”arranjem-se como puderem”. E o cidadão lá se vai arranjando. O mais das vezes este apelo constante ao improviso, à cunha e ao desenrascanço leva aos piores resultados. A continuar assim, o país está bem arranjado (…)”

Portugal no seu melhor.

segunda-feira, 14 de Março de 2011

um olhar...

Acabei de ver esta notícia no Público:

Os campos de golfe deverão voltar a ser tributados à taxa reduzida de IVA, de seis por cento, em vez dos 23 por cento que estavam a ser aplicados desde o início do ano, no quadro do Orçamento do Estado (OE) para 2011, revelou o Negócios.

 E não pude deixar de vir para aqui partilhar o meu estarrecimento para com a mesma. Que sentido económico é que isto faz? Porque é que o golfe é privilegiado face a todos os outros desportos que se praticam em Portugal? Até me deu curiosidade e fui descobrir qual o número de praticantes desse desporto no nosso país - 18 mil. Admito que é um número superior ao que pensava inicialmente, e serve para fundamentar a minha teoria que ainda há mesmo muito dinheiro neste país, está é cada vez mais na mãos de uns poucos. Enquanto países como o Brasil usam o seu crescimento para aumentar a classe média, aqui em Portugal faz-se o processo inverso, e a meu ver há uma vontade clara de direccionar o nosso país para um local de muito ricos e muito pobres. O fosso aumenta a cada dia e isto não é uma questão de partidos, é mesmo a forma de estar de quem governa - cedendo aos lobbies dos poderosos. Sinceramente, política mais influenciada por lobbies que esta é impossível. Segundo a própria notícia, "O Governo elegeu o turismo/golfe como uma das prioridades da estratégia de recuperação da economia nacional". Cheira-me que o governo já está mesmo a ver que não se aguenta muito mais no poder e como tal já está em modo assegurar jobs for the boys no BES. Incrível.  

um olhar...

...triste. Mais uma vez, e poucas semanas após o sucedido em Christchurch, um país que tem um lugar guardado dentro de mim é vítima da Natureza no seu esplendor de força. Andam por aí muitas imagens e muitos vídeos à solta, mas as do Big Picture são para mim, e como sempre, a melhor amostra da destruição causada. Links aqui e aqui. Impressionante...

quinta-feira, 10 de Março de 2011

um olhar, um sorriso, uma música no ar...

Tinha que ser. Tinha que rever este filme neste momento da minha vida. Tudo explicado no vídeo abaixo, para quem percebe italiano. Uma maravilha de filme.

terça-feira, 1 de Março de 2011

uma música no ar...

Não costumo ser mal-educado, ou pelo menos não neste blog, portanto desde já desculpem-me os mais sensíveis, mas tenho uma coisa muito importante a dizer aos senhores do Optimus Alive.


um olhar...

... a um dos grandes mistérios da civilização humana. De onde viemos, para onde vamos, há extraterrestres ou não tudo isso é muito giro, mas de pouca relevância face ao verdadeiro mistério que nos atormenta há anos a fio, e que hoje descobri foi finalmente revelado. E foi revelado após uma extensa análise científica, baseada em dados concretos e reais, retirando qualquer hipótese de dúvida futura sobre o tema. Posso então aqui revelar, após muita especulação e fantasia, que, Phil Connors ficou preso no dia 2 de Fevereiro durante 12.403 dias.

Não sabem quem é este tal de Phil Connors? Cliquem aqui.
Não sabem qual a importância do dia 2 de Fevereiro? Cliquem aqui.
Querem saber como é que isto foi calculado? Cliquem aqui.

Ciência exacta meus amigos.

um sorriso...

O Ricky Gervais, depois da sua polémica actuação como apresentador dos Globos de Ouro resolveu colocar no seu blog uma sugestão para o discurso inicial na cerimónia dos Oscars. Foi pena que a Anne Hathaway e o James Franco não a utilizaram, porque isto sim tornaria a cerimónia memorável. E mais não preciso dizer sobre esses prémios da treta.

V.O.Ladies and Gentlemen.
Please welcome your hosts for this evening...
James Franco and Anne Hathaway

(Music and applause)
(James and Anne walk out looking absolutely perfect)

JF
Hello and welcome to The 83rd Academy Awards,
Live from Los Angeles.

AH
That's foreign for City of Angels.
And this room is certainly filled will those angels.

(Applause)

JF
Thank you. I'm James Franco.

AH
...and I'm Anne Hathaway.

JF
You probably know me from 127 Hours where I play a man trapped in an enclosed space who decides he would rather cut his own arm off than stay where he was. Now that sounds "way out" but wait till half way through this fucking ceremony and you'll start to identify with him.

AH
And I'm the new Catwoman. The first white woman to play that role since Michelle Pfeiffer. I want it to be an inspiration to all white people everywhere. Your dreams can come true in Hollywood too.

JF
It's a daunting task hosting The Oscars but we're not alone. Presenting awards tonight will be a string of Hollywood legends and some other actors who have a film out in March or April.

JF
Usually they hire comedians to host The Oscars, but tonight, instead, you get us!

AH
No comedians tonight. And do you know why? Because comics are ugly.

JF
Especially that rude obnoxious one who played the Steve Carell part in the English remake of The Office.

AH
But you can all relax because Ricky Gervais is in London...

(Nervous laughter)

He's doing some charity work.
Yeah, he's visiting orphans with cancer.
He's telling them what bald little losers they are...

JF
Yeah, cos he's rude right?

(Applause)

Thank you.
No rudeness tonight.
It's going to be a night of the most privileged people in the world being told how brilliant they are and thanking God for loving them more than ugly poor foreigners.

(Applause)

That's not to say that we don't care. No, apart from all the great movies we made this year we continued our life-saving philanthropy. Mega stars like Angelina Jolie, George Clooney and Ben Stiller brought light to third world poverty and famine and shocked the world with visions of children so hungry they'd been living off dead beetles all their lives.

AH
Yeah and Yoko Ono said. "What's wrong with that?"

(Laughter)

JF
Oh Anne you are naughty. In a respectful, wholesome way.

(Nodding and smiling)

That Ricky Gervais should do more for charity.

(Murmurs of agreement)

Ricky Gervais is now worth $80,000,000. The obnoxious Brit confirmed the figure, adding,"Yes and my dentist hasn't seen a penny."

AH
Yeah, why doesn't he get his teeth straightened and bleached like everyone else in Hollywood?

JF
It's a good question Anne. For the same reason he doesn't have botox or suck up to important producers - there's something wrong with him.

AH
There must be. Why isn't the stocky, fangy, little slob more like us, right?

JF
That ugly dude needs to get a Hollywood makeover, big time.

AH
Quite. And even though most of the actresses here have eating disorders, that's better than being fat right?

JF
You bet it is gorgeous.

AH
You are so handsome.

JF
Exactly.
You know Ricky Gervais used to be bulimic.

AH
Really?

JF
Yes. He'd often gorge himself for hours with cheese and cakes.

AH
And then vomit right?

JF
No he left that bit out...

(Mild laughter)

AH
That's because he couldn't get his fat fucking fingers in his stupid mouth.

(Big laugh)

JF
Anyway let's get this show on the road.
There were some great kids' movies this year.
I took a five year old to see Toy Story 3 last week.

AH
Did you enjoy it?

JF
No it was ruined for me because the little brat was screaming and crying all the way through the film saying, "Who are you?" "You're not my daddy." "Take me back to the park where you grabbed me..."

(Laughter)

AH
Oh James, you are a card. And your slightly risky jokes are not threatening because you're one of us. And you are so handsome.

JF
Absolutely.
So let's get this show on the road.
Our first presenter is a Hollywood legend whose boots Ricky Gervais would not be fit to kiss...
The wonderful...
Mel Gibson...

(Standing ovation)

quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2011

um olhar, um sorriso e uma música no ar...

Muito bom este vídeo promocional para a série mais conhecida no mundo inteiro. E tão simples.

terça-feira, 22 de Fevereiro de 2011

uma música no ar...

Maravilha maravilha maravilha.

um olhar...

Que dor, ver Christchurch assim...

quarta-feira, 16 de Fevereiro de 2011

um olhar...

O meu blog, o meu querido blog, largado, abandonado, perdido no tempo, sem rumo. Não sei o que lhe fazer. O PREC em que se tornou a minha vida não me tem permitido ter a tranquilidade de espírito necessária para aqui vir, pensar, escrever, com a devida dedicação. Não me apetece simplesmente colocar um ponto final, mas também assim deixá-lo definhar, sem alimento, custa-me bastante. Vamos fazer assim, estabelecer um prazo. Isto tem de animar até ao início da Primavera. Se assim não for, no último dia do Inverno do ano da santa graça de 2011 coloco um ponto final no blog. Prometo tentar.

quarta-feira, 12 de Janeiro de 2011

uma música no ar...

Uma grande música que fica de 2010 é esta Island, IS, dos Volcano Choir.

quarta-feira, 5 de Janeiro de 2011

um olhar...

e poderia ter posto um sorriso também ali em cima no título, mas seria mesmo é uma gargalhada sonora com esta notícia. Tão óbvio, tão óbvio, tão óbvio que até dói....Ah e tal agora compras uma pulseirinha e ganhas equilíbrio. São só 40€... Incrível...

terça-feira, 4 de Janeiro de 2011

um olhar...

Já vamos a mais de meio do dia 4 do novo ano e ainda não gastei um tostão. Sempre a comer por casa ou por casas onde não me cobram, ainda não tive que pôr gasolina, não fiz compras... Mesmo nada nada. Vamos ver até quando isto vai durar...

segunda-feira, 3 de Janeiro de 2011

um olhar e uma música no ar...

Durante este fim de semana grande que passou tive um debate com alguns amigos sobre os Ídolos, ao descobrir, surpreendido, que eles seguiam o programa. Nem a propósito, volto ao escritório e consequentemente ao computador e deparo-me com um post do Bruno Carvalho no 5dias sobre o mesmo tema. O post até nem é nada de especial, contém até algumas parvoíces (Nirvana e Smashing Pumpkins não são comerciais?) mas quero retirar apenas a que é, para mim, a frase-chave sobre o programa : 
"O objectivo não é promover bons músicos. O objectivo é promover o espectáculo vazio e comercial que dá todos os domingos na SIC.". 
É que esta é que é a grande verdade por detrás disto tudo, quem se lembrou de criar este programa teve por base o mesmo objectivo do gajo que criou o Big Brother ou a Secret Story (outro programa que nem sabia que existia até este fim de semana) ou outro que eles se põem a dançar - vender, vender, vender, sem a mínima preocupação quer com a audiência que come aquilo, quer com os próprios concorrentes que se apresentam e vêem nisto uma via verde para o sucesso. Alguém tem de dizer ao concorrentes que existem várias vias normais se querem ser músicos e carecem de trabalho, muito trabalho. Ou estão dispostos a isso ou nunca lá chegarão. E alguém tem que dizer à audiência que se querem ver música a sério vão a concertos, não fiquem em casa a olhar para a televisão. Procurem pelas coisas e não aceitem aquilo que um qualquer gajo vos dá. 

quinta-feira, 30 de Dezembro de 2010

um olhar e um sorriso...

De sonho. A NBA é mesmo uma magia. Vejo e revejo estas imagens e é sempre sempre incrível.

um sorriso...

No último dia de trabalho do ano, e tendo em conta a página em branco que vem aí, nada mais apropriado que a última tira do Calvin & Hobbes.

quarta-feira, 29 de Dezembro de 2010

um olhar...

Algum evento cósmico de magnitude bastante elevada deverá ter ocorrido hoje pela hora do almoço. Senão vejamos - fui almoçar ao Corte Inglês com 5 amigos da Universidade, um dos quais vive em Barcelona, pelo que este quórum reúne-se no máximo uma vez por ano. Isto de si já mostra as particularidades do evento. Mas como se não bastasse, passo a listar as pessoas conhecidas que vi no mesmo sítio, na mesma meia-hora que lá estive:
  • um colega meu do tempo da escola preparatória;
  • dois tipos que também frequentaram a mesma Universidade na altura mas que só conheço de vista;
  • um casal de colegas da mesma turma da Universidade que entretanto se casaram;
  • uma rapariga que era da minha rua dos tempos da Portela. 
Se somarmos a isto o facto de ter encontrado em Florianópolis, numa praia onde estive cerca de 1 hora, um rapaz que foi colega do meu irmão desde pequeno e que também morava na nossa rua na Portela está tudo dito. Não posso afirmar com toda a certeza, mas deve haver mesmo algo que nos liga como seres humanos. E não estou a falar de deuses ou afins. Apenas química/física.

um olhar...

Vou mudar de emprego. Contra a carrada de pessoas que dizem que isto está mau e péssimo e me vêm com aqueles discursos todos pessimistas, e após ter percebido que não havia futuro no sítio onde estou actualmente coloquei-me à procura e agora encontrei outra coisa e como tal vou mudar de emprego. Mas o motivo que me leva a escrever este post nao é precisamente este, apesar de ser consequência directa do mesmo. 
(get to the point, god damn it!)
Ontem comecei a arrumar as poucas coisas que acumulei por aqui em 9 anos e meio de trabalho. Não sou pessoa de guardar muitas coisas, até porque hoje em dia fica quase toda a informação arquivada em formato electrónico nos disco rígido. Mesmo assim fui acumulando uns cadernos e mais algumas coisas que nunca deitei fora e que agora enfrentam a pena de morte. Foi decretada por mim mesmo a tudo o que já não interessava. Enchi (até agora) 2 caixotes de lixo. Mas não o fiz de ânimo leve. À medida que folheava cadernos, veio-me um sentimento de desconforto, relacionado com a efemeridade das coisas. Ao percorrer actas de reuniões com assuntos que na altura eram confidenciais, de extrema importância não consegui deixar de pensar E agora? Ninguém se lembra disto. Tantas preocupações geradas, discussões tidas, e o que fica? Actas? O que é que isso interessa agora? É um sentimento um pouco estranho de tudo passa e muito pouco fica. Deu-me, por breves momentos, a vontade de largar tudo e ir construir algo que realmente perdure no tempo. A seu tempo Alex, a seu tempo. Tudo a seu tempo.